Crescimento das gigantes de nuvem e chegada LGPD

O 2º trimestre de 2020 foi marcado por quedas históricas no PIB de diversos países, em alguns casos mais que 40%, mas nem isso impediu o crescimento das gigantes de nuvem. 

A AWS manteve a liderança com receita de US$ 10,81 bilhões e crescimento de 29%, um pouco menor em relação ao primeiro trimestre devido aos impactos da pandemia. Vale mencionar que o lucro operacional da AWS foi de US$ 3,36 bilhões, que representa 57% do lucro operacional total da Amazon. 

Porém o crescimento um pouco mais lento não foi exclusivo da AWS. Em segundo lugar vem a Azure, que junto com os negócios de nuvem da Microsoft, chamado de Intelligent Cloud reportou receita de US$ 13,37 bilhões, um aumento de 17% em relação ao ano anterior. O crescimento da Azure foi de 47%.

Por fim a empresa-mãe do Google, Alphabet, divulgou receita em nuvem que inclui o G-Suíte, de US$ 3,01 bilhões, um aumento de 43% em relação aos US$ 2,1 bilhões registrados no mesmo período do ano passado. O crescimento do GCP não foi divulgado.

Analistas destacam a queda no crescimento das três empresas, que foi atribuído em grande parte à receita na casa dos bilhões – a cada ano é mais difícil manter elevadas taxas de crescimento, já que a base é cada vez maior.

 

Quando a LGPD entrará em vigor?

Com certeza esse é um dos assuntos mais comentados ultimamente, principalmente com os desafios do isolamento social e o aumento do uso da Internet – o que só reforça a necessidade de proteger as informações pessoais. 

Essa semana o Deputado Damião Feliciano (PDT-PB) apresentou seu parecer sobre a MP 959 concluindo que a vigência da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) deve ser mantida para o dia 14 de agosto de 2020. 

Com essa data tão próxima é comum questionarmos “quais os impactos dessa lei na minha organização?” ou “será que minha nuvem AWS está preparada para a LGPD?”

Quando for responder a segunda pergunta, conte com o CleanCloud Score, única solução de LGPD para nuvem AWS.