Vazamento de dados em massa

Um dos maiores vazamentos de dados foi encontrado nos últimos dias contendo 4 terabytes de dados sendo eles nomes, endereços de email, números de telefone, informações de perfil do Linkedin e do Facebook.

Tudo veio à tona pela investigação de dois pesquisadores de segurança, Bob Diachenko e Vinny Troia, que descobriram mais de 1,2 bilhões de pessoas atingidas por um serviço ElasticSearch desprotegido e acessível através de um navegador web sem nenhuma senha, forma de autenticação ou proteção dos dados. Embora o endereço IP tenha sido rastreado até o Google Cloud Platform ainda não se sabe quem é o responsável pelo banco de dados ou se alguma informação foi acessada por hackers e cibercriminosos. 

Esse caso é apenas o mais recente de uma série de grandes vazamentos de dados em nuvem de 2019.  E mais uma vez o vazamento foi decorrente de uma configuração incorreta do serviço em uma nuvem pública.

Ah, e para quem não conhece, o ElasticSearch é um serviço open source oferecido pelos principais provedores de nuvem – além do Google Cloud, também Microsoft Azure e AWS – e é usado por milhares de empresas para analisar grandes volumes de informações em praticamente tempo real.

E assim como em outros vazamentos, a falha poderia ter sido ser evitada com a configuração correta do serviço – e se precisar de ajuda com isso conte com o CleanCloud Score 🙂

 

Agora, falando em economia…

Muita gente nos procurou semana passada para falar do AWS Saving Plans e outras estratégias de otimização de custos.

A de maior destaque sem dúvida é uso de Instâncias Reservadas, que é a forma mais efetiva para reduzir custos na AWS, cuja economia pode chegar a quase 70%!

Acesse nosso ebook de Instâncias Reservadas e aprenda como planejar e gerenciar as reservas e obter essa economias em sua conta AWS.

Quer conhecer mais? Agende uma demo de um dos nossos produtos!