O crescimento das gigantes de nuvem bateu recorde!

Apesar das dificuldades enfrentadas pela crise do coronavírus o uso de computação em nuvem continua crescendo.

O aumento na demanda por ferramentas de colaboração on-line e comércio eletrônico, entre outros serviços, levou a um aumento de 34% no uso de infraestrutura em nuvem e a um recorde de faturamento de US$ 31 bilhões no primeiro trimestre do ano. 

E isso refletiu no resultado dos líderes deste mercado: Amazon, Microsoft e Alphabet.

A AWS manteve a liderança do mercado IaaS com US$ 10,22 bilhões em receita neste primeiro trimestre de 2020, com um crescimento de 33% em relação ao mesmo período do ano anterior. O que mais chama a atenção é que os US$ 3 bilhões de lucro operacional representa 77% do lucro operacional total da Amazon.

Em seguida vem a Azure, que a receita é divulgada junto com a unidade de negócios Intelligent Cloud, e apresentou receita de US$ 12,3 bilhões de receita, um aumento de 27% em relação ao mesmo período do ano passado. O resultado da Azure não foi divulgado, somente que o crescimento que em comparação ao mesmo trimestre do ano passado foi de 59%.  

Por fim, a Alphabet que controla o Google, divulgou que a receita do Google Cloud de US$ 2,8 bilhões, um aumento de 52% em relação mesmo período do ano anterior. Assim como a Azure, essa unidade de negócio vai além do Google Cloud Platform, com destaque para o G-Suite. 

 

Redução de preços do Amazon EC2 

E parte do lucro da AWS vai diretamente ao cliente: na última semana anunciou preços menores do Amazon EC2 ao utilizar Instâncias Reservadas do tipo Standard ou o EC2 Instance Saving Plans. 

Essa redução de preços depende de critérios como região, período de 1 ou 3 anos e da família da instância, e as economias variam de 1% a 18% sobre o valor pago anteriormente. 

Quer saber mais sobre como economizar com Instâncias Reservadas e Savings Plans? Acesse nosso ebook e confira!

E se precisar de ajuda para reduzir custos na nuvem AWS conte com o CleanCloud Inspect 😉