Ter nuvem vale um trilhão de dólares?

As últimas semanas foram de divulgação dos resultados financeiros do 4º trimestre de 2019 e as empresas donas dos principais provedores de nuvem, Amazon, Microsoft e Alphabet, tiveram como grande destaque o crescimento das unidades de nuvem.

Em primeiro lugar a líder AWS que obteve US$ 9,9 bilhões em receita no quarto trimestre de 2019 que significa um aumento de 34% em relação ao período do ano anterior. O que mais impressiona é quando olhamos em valores absolutos: foi mais de US$ 3 bi em nova receita em apenas um trimestre!

Não é de se surpreender que no dia que o resultado foi divulgado as ações da Amazon subiram 12% e passaram a valer mais de US$ 1 trilhão!

Em segundo lugar a Azure, que junto com os negócios de nuvem da Microsoft, chamado de Intelligent Cloud, gerou receita de US$ 11,9 bilhões, valor 27% maior do que o mesmo período do ano passado.

Essa receita inclui diversos serviços em nuvem, como Skype for Business, Teams e, principalmente, Office 365. O resultado da Azure não foi divulgado, apenas seu crescimento de 62% em comparação com o mesmo período do ano passado, que ainda segue atrás da AWS em market share. O forte resultado manteve a Microsoft com valor de mercado acima de US$ 1 trilhão.

Por fim, a Alphabet, holding que controla o Google, divulgou pela primeira vez a receita do seu negócio de nuvem que ficou em US$ 2,6 bi, um crescimento de 53% em relação ao ano anterior. Assim como a Microsoft esse número inclui outros negócios ligados à nuvem, com destaque para o G-suit.

E é isso mesmo que você pensou: as ações da Alphabet também se valorizaram com o resultado e a empresa segue valendo mais que US$ 1 trilhão.

Os fortes resultados dos negócios de nuvem das três empresas mostram que a adoção de computação em nuvem está cada vez mais forte, e veio pra ficar.

E ontem tivemos uma grande novidade quanto ao contrato JEDI!!

Se você acompanha nossa newsletter já sabe o que é o contrato JEDI, que vale apenas US$ 10 bilhões e que vem sendo disputado pelas gigantes AWS e Azure.

Após a vitória da Azure, a AWS entrou com uma ação para bloquear o contrato por causa da interferência política do presidente Donald Trump e sua rixa de longa data com o CEO da Amazon, Jeff Bezos. E ontem um juiz federal aprovou a moção da Amazon para interromper temporariamente o contrato JEDI, que significou uma perda de valor de mercado para a Microsoft de US$ 17 bilhões em apenas 5 minutos!

E com o mercado gastando mais, pode economizar mais, certo?

Conheça o CleanCloud Inspect e descubra maneiras de otimizar e reduzir custo na nuvem AWS e Azure!