Tudo ou nada para o Google Cloud?

De fato o Google domina o mercado de buscas e publicidade na web, mas ainda é um pequeno participante de computação em nuvem, atrás da AWS, Microsoft Azure e Alibaba de acordo com a Gartner

Larry Page, co-fundador do Google e CEO da Alphabet na época, achou inaceitável estar em uma posição tão distante na competição de nuvem, e o pequeno market share gerou rumores, prontamente negados pela empresa, que poderiam deixar o mercado de infraestrutura em nuvem.

Nada disso, de acordo com o relatório da The Information o Google definiu como meta se tornar um dos dois principais rivais de computação em nuvem até 2023, e para isso definiu um orçamento de cinco anos com investimento de US$ 20 bilhões.  

Enquanto isso, os líderes do mercado….

AWS e Microsoft Azure continuam brigando pelo contrato JEDI (Joint Enterprise Defense Infrastructure) de US $ 10 bilhões (já falamos da disputa aqui e aqui)

E essa semana a AWS entrou com ação para impedir que a Microsoft inicie qualquer trabalho até que seu primeiro processo seja resolvido, no qual alega ser vítima de “deficiências claras, erros e um preconceito inconfundível” – que é difícil para o governo defender depois que o Trump deixou claro sua aversão a Bezos, né?

Pelo visto a disputa está longe de acabar… 

E que tal começar o ano com o pé direito?

E isso quer dizer redução de custos na nuvem!

Em nosso primeiro post de 2020 trouxemos as principais diferenças e vantagens das Instâncias Reservadas Standard e Convertible, uma das melhores formas de reduzir custos na AWS. E se precisar de ajuda com suas instâncias reservadas, conte com a CleanCloud Inspect 🙂